Fiscalização flagra irregularidades em UBS de Icém

Já na sala de raios X foi constatado vazamento de químicos e deterioração das portas com proteção de chumbo

Material de revelação estava vazando e causando mau cheiro no local/Fotos: CRTR5

No mês de junho a fiscalização do CRTR5 esteve no município de Icém, interior de São Paulo para apurar o exercício dos profissionais que operam os equipamentos de raios X das unidades de saúde da cidade.

 

No dia 19/7, uma quinta-feira, foi visitada a Unidade de Saúde Básica (UBS), localizada na região central de Icém. Lá, a fiscal do CRTR5 foi recebida por dois TRs na troca de turno. Levada para a sala de raios X, ao verificar o aparelho utilizado para realizar os exames, ficou evidente o cheiro forte causado por um vazamento de material químico.

Porta com proteção de chumbo deteriorada na UBS de Icém

Ainda no ambiente reservado para os exames de radiologia, e também local de trabalho dos TRs da UBS, foram constatadas irregularidades como a completa deterioração das portas que, com proteção de chumbo, deveriam impedir a fuga de radiação secundária, além da inadequada largura das portas que impedia a passagem segura de macas pelo local, inclusive gerando queixa dos pacientes.

TRs tiveram que colocar um parafuso no equipamento para poder atender os pacientes

O biombo que limita a área de proteção para os TRs que atuam na unidade era antigo, o que podia comprometer a integridade física dos profissionais. Ainda na sala de raios X, que tem o espaço bastante limitado, o botão que trava o equipamento estava quebrado, obrigando os técnicos a improvisarem, com um parafuso instalado por eles mesmos, para poder atender os pacientes.

Segundo o administrador da UBS, os problemas flagrados pela fiscalização do CRTR5 seriam encaminhados ao vice-prefeito da cidade, apontado como o responsável pelo setor de melhorias. No total, a fiscalização apontou irregularidades sanitárias; prazo do certificado do SATR vencido; e controle de qualidade do equipamento de raios X fora do prazo de validade.

O Corpo Jurídico do CRTR5 enviou um ofício à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre os problemas detectados na UBS.