Conselhos de Radiologia e Medicina Veterinária se encontram para alinhar ações

Reunião foi solicitada pelo CRTR/SP para que, de forma amigável, atuação das duas entidades se complementem nas ações de fiscalização

Na última segunda-feira, 5/11, representantes do Conselho Regional de Técnicos e Tecnólogos em Radiologia de São Paulo (CRTR/SP) estiveram na sede do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV/SP). Na ocasião, Agnaldo Silva, presidente do CRTR/SP, acompanhando por profissionais da fiscalização, se reuniu com representantes do CRMV/SP para estreitar relações e assim estabelecer uma colaboração entre as entidades.

Segundo Agnaldo Silva, esse encontro ‘informal’ foi uma maneira de viabilizar um diálogo de entendimento. “Tanto nós [CRTR/SP], como o Conselho de Medicina Veterinária, atuamos para que os serviços de diagnósticos oferecidos sejam os melhores possível. Sendo assim, acredito que possamos atuar de forma complementar”, afirmou o presidente do CRTR/SP logo após o encontro.

Durante o encontro, o principal foco foi a troca de informações sobre as ações desenvolvidas pelos agentes de fiscalização dos dois conselhos. “Ao detalharmos como nossa fiscalização atua, fica mais fácil alinharmos nossas atividades e alcançar a máxima eficiência de ambos os conselhos’, avalia o presidente do CRTR/SP. Douglas Ianelli, presidente da Coordenação Regional de Fiscalização (Corefi) do CRTR/SP, também presente no encontro, esse diálogo foi um grande passo para o entendimento entre os dois conselhos e suas ações. “A troca de informações foi fundamental para que consigamos oferecer o melhor serviço, cada entidade na sua área, mas de forma colaborativa”, afirmou.

Entre os pontos discutidos com o Conselho Regional de Medicina Veterinária foi o entendimento de até onde a função do CRTR/SP se aplica na fiscalização na veterinária. “Nossa ação não é de fiscalizar o médico veterinário. Temos total clareza de que esse profissional tem formação para executar exames de imagem no dia a dia da clínica onde trabalha. Mas é importante que eles (CRMV/SP) também percebam como e para quê atuamos”, explicou Agnaldo Silva, presidente do CRTR/SP.

Entre os pontos acordados em os dois conselhos de classe ficou o entendido que, quando se tratar de exames de imagens, tanto médico e como estagiário de medicina veterinária, sob supervisão, têm autonomia para a realização e operação de equipamentos que usem radiação.

Ambos os conselhos concordaram que, no caso da ausência do medico veterinário, por exemplo, qualquer outro profissional, como técnico ou auxiliar veterinário flagrado operando equipamentos que utilizem a radiação ionizante para exames de diagnósticos estará cometendo exercício irregular da profissão. “Em caso de constatada alguma irregularidade durante as fiscalizações, foi nos dada a abertura para comunicar, amigavelmente, o conselho de medicina veterinária, para que eles tomem as medidas que considerarem adequadas’, resume o presidente do CRTR/SP.

Uma rápida conversa também sinalizou para a questão do mercado de trabalho para os profissionais de Radiologia na medicina veterinária. “Concordamos que essa área tem crescido muito e que caminha para ganhar mais espaço, o que tornará cada vez mais necessária a presença de profissionais, inclusive no diagnóstico por imagem, para atender a demanda’, avalia Agnaldo Silva após o encontro.