RADIOLOGIA INDUSTRIAL: Universidade de Aveiro cria detector de radioatividade

O equipamento promete identificar, em até dez minutos, a substância radioativa trítio

Um aparelho desenvolvido pela Universidade de Aveiro, em Portugal, promete reduzir o tempo de resultado de radiação em água de despejo em sistemas de refrigeração de centrais nucleares. Segundo notícias publicadas em diversos veículos de comunicação do país, o equipamento permite medir, em tempo real, os níveis de radioatividade.

O equipamento detecta a substância trítio que, além de ser radioativa, pode ser prejudicial à saúde quando ingerida acima do nível permitido. A técnica foi instalada na central nuclear espanhola de Almaraz, que utiliza o rio Tejo – onde é feita a descarga da água utilizada nos sistemas de refrigeração. 

Diferentemente dos métodos laboratoriais, que demoram aproximadamente três dias para apresentar resultados, o novo detector de radioatividade produz efeitos em até dez minutos.