fbpx

Biopsia líquida: novo exame de próstata desenvolvido por pesquisadores brasileiros

Método promete a detecção do câncer de próstata com mais rapidez e precisão

Foto: Divulgação Internet

 

Pesquisadores do laboratório de Nanobiotecnologia do Instituto de Biotecnologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) em parceria com a empresa Biogenetics, desenvolveram um novo exame de próstata. O exame -biópsia líquida, como é chamado – é realizado através da análise de sangue do paciente e garante resultado pronto em até três horas com uma precisão de 96% a 97%.

O sangue analisado em laboratório passa por duas máquinas: uma centrífuga, que separa as suas partes, e um citômetro de fluxo, que conta e classifica essas partes. Sendo possível observar a presença de células normais, que se desprendem dos órgãos no processo natural de renovação, além da existência ou não de células tumorais.

De acordo com os pesquisadores, a técnica deve chegar ao mercado nacional e internacional em 2020 e será de interesse dos órgãos de saúde pública.

“Acreditamos que o Sistema Único de Saúde (SUS) vai ter interesse, pois o método é muito rápido e mais barato. Qualquer laboratório possui máquinas de centrífugar e citômetro de fluxo. Somente é necessário ter essas duas máquinas e um tubinho para coletar sangue”, explica o professor de Biologia, Luiz Ricardo Goulart Filho, que coordena o projeto, em entrevista ao Portal G1.

O custo estimado do exame é de R$ 100 por paciente, mas com a implantação em larga escala na rede pública de saúde, o valor deve ser bem mais reduzido.

O novo exame aguarda sua patente internacional para ser disponibilizado para toda a população brasileira. Após o registro da patente, deve ser realizado o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a submissão ao Conselho Temático de Inovação e Tecnologia (Cointec), a avaliação em um outro laboratório público e o estudo de implementação.

Em questões de política pública esse processo pode ser um pouco demorado, mas uma vez registrado, laboratórios privados já podem comercializar. No mês que vem, ele será implantado em um laboratório particular como pesquisa de validação de estágio final clínico e, provavelmente em abril ou maio, será lançado no mercado definitivo nacional e no internacional a partir de junho ou julho”, explicou Luiz Goulart.

O projeto, financiado com recursos da Finep, ganhou, em 2002, um Prêmio de Inovação Tecnológica do Sebrae.

Segundo o Ministério da Saúde, o câncer de próstata é o tumor que afeta a próstata, glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. Esse tipo de câncer é o mais frequente entre os homens, depois do câncer de pele.

Fonte: Pebmed