fbpx

Criando uma cultura de bem-estar em Radiologia

Pesquisas mostram que o tempo que o profissional dedica a si melhora a qualidade no cuidado dos pacientes

Numa demanda de trabalho cada vez mais intensa, profissionais da radiologia tentam arranjar tempo para socializar com os amigos e incluir na rotina exercícios diários, atividades fundamentais para o bem-estar e a saúde.

O estresse e a fadiga predispõem os profissionais, entre outras enfermidades, à Síndrome de Burnout (estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional). Em uma pesquisa de 2019 do Conselho de Acreditação para Educação Médica de Pós-Graduação (ACGME), quase metade dos radiologistas disseram ter sofrido burnout, citando a carga de trabalho como fonte primária.

A falta da interação entre profissionais de um departamento, minam a alegria no trabalho, que poderia ser recuperada em eventos planejados de confraternização. Combater o isolamento e desenvolver uma cultura de bem-estar dentro de um grupo ou divisão é fundamental para o Dr. Brandon P. Brown, radiologista da Escola de Medicina da Universidade de Indiana em Indianápolis e presidente do Comitê de Profissionalismo da RSNA.

“Os seres humanos são interdependentes e interconectados de maneiras que não podemos ignorar”, disse Brown, que sugere ser preciso promover oportunidades, sociais e acadêmicas, para as pessoas redescobrirem umas às outras.

Essas oportunidades são particularmente importantes para os residentes que podem ficar desencorajados de observar os professores sobrecarregados de trabalho, de acordo com Jessica G. Fried, MD, chefe de radiologia de diagnóstico da Penn Medicine, na Filadélfia.

“Com tanto volume clínico, a relação educador-aluno tem sofrido”, disse ela. “Quando vemos professores que não têm tempo para almoçar ou ir ao banheiro, que esperança podemos ter?”

O Dr. Fried, que atua na Ação Colaborativa da Academia Nacional de Medicina sobre Bem-Estar e Resiliência Clínica, fez uma apresentação no RSNA 2019 sobre estratégias para promover o bem-estar para estes profissionais . O ponto central da abordagem é romper com uma cultura de silêncio sobre problemas pessoais. “Às vezes apenas alguns minutos fora da sala pode ser algo poderoso.”  O aumento da carga de trabalho também pressiona o ambiente familiar. Gerenciamento de tempo, planejamento financeiro mantêm a exaustão sob controle.

Outra maneira de diminuir o desgaste é organizar melhor a vida, de acordo com Puneet Bhargava, MD, professor de radiologia da Universidade de Washington em Seattle, que apresentou resultados no RSNA 2019 – de mais de uma década de pesquisa – analisando gerenciamento de tempo e produtividade. Para ele, o sucesso no combate ao estresse e o desgaste está na organização e no foco em um objetivo.

Entre as estratégias do Dr. Bhargava estão a prática de escrever metas e listas de tarefas para se manter organizado e a redução da ansiedade. Dividir tarefas pequenas e mais simples pode gerar impulso para o progresso em tarefas mais complicadas. Ele também discutiu a importância do planejamento financeiro de longo prazo para fornecer mais flexibilidade nas carreiras.

O Dr. Bhargava e seus co-apresentadores também apresentaram um workshop prático com foco em como a tecnologia pode melhorar a organização e o gerenciamento de tempo: aplicativos para anotações, gerenciadores de senhas e técnicas de gerenciamento de e-mail. Os apresentadores concordaram que a redução do esgotamento exigirá um esforço conjunto de cima para baixo para resolver o problema antes que ele piore.

“Quando estamos constantemente a todo vapor, a natureza do que fazemos muda”, disse Fried. “Precisamos cuidar de nós mesmos se quisermos sobreviver às mudanças monumentais dos últimos 10 a 15 anos e às que estão pela frente.”

 

 

Versão traduzida da matéria de RICHARD DARGAN para a RSNA Notícias

Compartilhe no Facebook