Regularize seus débitos
Chame no   (11) 98644-0440

Clique aqui e regularize seus débitos



(11) 98644-0440

WhatsApp



Osteossarcoma é diagnosticado em fóssil de dinossauro

 

Pela primeira vez, através de um estudo realizado por pesquisadores do Museu Real de Ontário, Canadá, foi encontrado um câncer ósseo no fóssil de um dinossauro. O animal, que viveu há cerca de 76 milhões de anos, pertencia à espécie Centrosaurus Apertus e foi descoberto na cidade canadense de Alberta, em 1989.

Acreditava-se que a “malformação” visualizada tratava-se de um calo ósseo, mas exames mais recentes comprovaram que era na verdade um osteossarcoma, câncer ósseo agressivo e que ainda aflige humanos em pleno século XXI. Uma das características que mais chamou a atenção dos pesquisadores foi uma espécie de “fratura curativa” em um dos membros do fóssil.

Este trabalho multidisciplinar reuniu profissionais de diversas áreas como patologia, radiologia, cirurgia ortopédica e paleopatologia, que dentre as técnicas utilizadas para investigação, realizou tomografia computadorizada e ferramentas de reconstrução para visualizar o progresso do câncer. O fóssil foi comparado a uma fíbula normal de um dinossauro da mesma espécie, bem como a uma fíbula humana com um caso confirmado de osteossarcoma.

Esta pesquisa visa estabelecer um novo padrão para o diagnóstico mais preciso de doenças pouco claras em fósseis de animais, e ainda promover ligações entre as doenças humanas e as doenças do passado, ajudando os cientistas a obterem uma melhor compreensão da evolução e da genética de várias doenças.

O estudo foi publicado na revista científica The Lancet Oncology no dia 03 de agosto.

 

Fonte:ROM – Royal Ontário Museum |Câncer raro em dinossauro/

Texto: Tradução Livre